Última mensagem

Jovem é executado com sete tiros dentro de ginásio em Vicência

O CRIME ACONTECEU DENTRO DO GINÁSIO DE ESPORTES DO MUNICÍPIO
O Terço que Everaldo José da Silva, de 22 anos, levava consigo não serviu para afastá-lo da mais cruel das inimigas: as drogas. A vida do jovem foi ceifada na noite deste domingo (20) por volta das 22 horas. Sete disparos de arma de fogo, distribuídos entre cabeça, pescoço e costas, puseram fim a uma vida que mal começara.

Moradores vizinhos ao Ginásio de Esportes Amaury Pedroza disseram ter ouvido vários tiros advindos do local. A Polícia Militar foi acionada mas quando chegou, o jovem já estava sem vida.

Minutos depois o pai da vítima foi até o local com um documento de identidade. Ao se deparar com a cena trágica e constatar que se tratava do próprio filho, desmaiou e foi socorrido para a Unidade de Saúde.

Everaldo, que também era conhecido como "Pé de Burro", residia na Rua Inácia Góes (Vicência) e, segundo informações que serão apuradas pela polícia, ele teria fugido de um presídio há pouco tempo.

Até a retirada do corpo nenhum outro familiar compareceu para prestar maiores informações.

O crime, cuja autoria é desconhecida, será investigado pela 52º DP. 

Blog. Vicencianet
 

Oito membros de uma mesma família são mortos por tanque israelense

Pelo menos oito membros de uma mesma família foram mortos nesta sexta-feira à noite atingidos por disparos de um tanque do Exército israelense no norte da Faixa de Gaza, relataram os serviços de emergência palestinos.
Os oito membros da família Abu Jurad - dois homens, duas mulheres e quatro crianças - morreram em sua casa em Beit Hanoun, indicou o porta-voz dos serviços de emergência, Ashraf al-Qudra.
Em um primeiro momento, foram divulgadas cinco vítimas, mas o número foi atualizado com a morte de outras três crianças.
Ao menos 292 palestinos foram mortos desde o início da ofensiva israelense em Gaza, no dia 8 de julho.
Dois israelenses, um civil e um soldado, morreram no mesmo período. O civil foi atingido por um foguete do movimento palestino Hamas, e o soldado por "fogo amigo", durante a ofensiva terrestre, iniciada na noite de quinta-feira. yahoo
 

Romário critica Gilmar Rinaldi na Seleção: “Sacanagem ou pegadinha”

O anúncio de Gilmar Rinaldi como novo coordenador técnico da Seleção Brasileira rendeu muitas críticas ao longo do dia. O nome do ex-goleiro e empresário de atletas não foi bem aceito por personalidades importantes do futebol do país, como o ex-atacante Romário. O ‘baixinho’, que vem usando sua condição de deputado federal para rebater a CBF, classificou a nova contratação como sacanagem ou pegadinha.
"Galera, só pode ser uma dessas duas coisas: sacanagem ou pegadinha. É inadmissível Gilmar Rinaldi ser escolhido para assumir o cargo de diretor/coordenador de Seleções da CBF. O cara é empresário de vários jogadores. Tive o desprazer de trabalhar com ele no Flamengo, é incompetente e sem personalidade", escreveu Romário em seu perfil no Twitter.
Para justificar a crítica postura com relação ao novo coordenador técnico, Romário relembrou o passado de Gilmar Rinaldi. O ex-goleiro se especializou em trabalhar como empresário de atletas e se tornou um agente da Fifa. De acordo com a avaliação do ‘Baixinho’, a Seleção Brasileira se transformará em um balcão de negócios a partir de agora.
"Posso afirmar que Rinaldi vai fazer da CBF um banco de negócios para defender os seus interesses. Só os ratos do Marin e Del Nero para escolherem uma pessoa como essa. Para piorar, ele ainda é agente FIFA", completou Romário, aproveitando a ocasião para criticar o presidente José Maria Marin e o vice Marco Polo Del Nero.
Durante a sua apresentação, com a intenção de amenizar as críticas, Gilmar Rinaldi garantiu que não é mais empresário de seus atletas, e os remanescentes haviam sido avisados nesta quarta-feira de que ele agora trabalharia em um novo cargo. Desta forma, o novo coordenador técnico garantiu que o seu foco está totalmente volta à Seleção Brasileira.yahoo
 

Turistas estrangeiros têm intenção de voltar ao Brasil

Da Agência Brasil
Levantamento feito pela Fundação Instituto de Pesquisas Econômicas (Fipe) e divulgado pelo Ministério do Turismo mostrou que 83% dos turistas internacionais consideraram que a visita ao Brasil durante a Copa do Mundo atendeu plenamente ou superou as expectativas. Além disso, 95% desses turistas têm a intenção de voltar ao país.

Ainda segundo o balanço do ministério, os serviços mais bem avaliados pelos estrangeiros foram o de hospitalidade e o de gastronomia, com aprovação de 98% e 93%, respectivamente. A segurança pública teve 92% de aprovação. Foram ouvidos 6.627 turistas estrangeiros.

Apesar de a Copa do Mundo contar apenas com seleções de 32 nacionalidades, turistas de 203 países desembarcaram no Brasil no período do Mundial de futebol. A Secretaria de Aviação Civil da Presidência da República aponta que cerca de 490 mil estrangeiros desembarcaram de voos internacionais no Brasil de 1º de junho a 1º de julho. Além disso, 3.056 brasileiros circularam pelo país durante a Copa.

Dos 6.038 brasileiros ouvidos pela pesquisa, 90,5% avaliaram positivamente o atendimento e a receptividade. A segurança pública teve avaliação inferior entre os brasileiros. Foram 83,8% de aprovação para o setor.

Do dia 10 de junho ao dia 13 de julho, 16,74 milhões de passageiros nos 21 aeroportos que atenderam às demandas da Copa do Mundo de 2014, segundo balanço da Secretaria de Aviação Civil da Presidência da República. O recorde foi alcançado no dia 3 de julho, com 548 mil passageiros. Segundo dados da secretaria, no dia 28 de fevereiro, durante o carnaval, uma das maiores festas brasileiras, foram registrados 467 mil passageiros nos aeroportos. 
olhardireto
 

Sabella admite que faltou eficiência à Argentina na final da Copa

"Num jogo tão apertado como esse, é preciso aproveitar cada oportunidade. Faltou um pouco de eficiência", reconheceu o técnico argentino Alejandro Sabella depois da final da Copa do Mundo, em que os 'Hermanos' perderam por 1 a 0 na prorrogação, neste domingo no Maracanã.
"Ele tiveram mais posse de bola, mas criamos as chances de gol mais claras. Num jogo tão equilibrado, é preciso colocar a bola para dentro", insistiu o treinador em entrevista coletiva concedida depois da partida.
Sabella também explicou que o fato de sua equipe ter tido um dia a menos de descanso pesou sobre o resultado final.
"Jogamos a semifinal um dia depois deles e ainda por cima disputamos uma prorrogação (contra a Holanda, vitória nos pênaltis, depois do empate sem gols). A única coisa que posso fazer é parabenizar meus jogadores. Eles fizeram um trabalho extraordinário. A Alemanha também está de parabéns pelo titulo conquistado", completou. yahoo
 

Messi: 'Tivemos tudo para ganhar, mas não deu'

O craque argentino Lionel Messi, eleito melhor jogador da Copa do Mundo, lamentou as chances perdidas por sua equipe na derrota por 1 a 0 para a Alemanha na final da Copa do Mundo, neste domingo no Maracanã.
"Acho que tivemos tudo para ganhar, mas não deu, não soubemos colocar a bola para dentro", comentou ele, lamentando as chances de gol perdidas pela Argentina.
"Queríamos levantar a taça, mas agora temos que seguir adiante", resumiu Messi, que fez quatro gols em sua terceira Copa, todos marcados na primeira fase.esporteinterativo
 

Felipão não é mais técnico da Seleção Brasileira

Luiz Felipe Scolari não é mais técnico da Seleção. Após o atropelamento da Alemanha por 7 a 1, nas semifinais, e a derrota na disputa do terceiro lugar para a Holanda por 3 a 0, o treinador perdeu o comando e está fora. 

Felipão assumiu o Brasil no ano passado, um pouco antes da Copa das Confederações, e conquistou o título em cima da Espanha, vencendo por 3 a 0 no Maracanã. Foram 29 jogos no comando da Seleção, com 19 vitórias, seis empates e quatro derrotas. Na Copa do Mundo deste ano, foram sete jogos, com duas derrotas, três vitórias e dois empates. Tv Glogo
 

Apesar de mais uma derrota, Felipão não entrega cargo

Apesar de mais uma derrota humilhante, desta vez para a Holanda por 3 a 0 na disputa pelo terceiro lugar da Copa, e contrariando os prognósticos, o técnico Luiz Felipe Scolari não entregou o cargo, deixando a decisão nas mãos da CBF.
Após a histórica goleada de 7 a 1 sofrida para a Alemanha nas semifinais, na última terça-feira, a imprensa cogitava que Felipão entregaria o cargo neste sábado, no encerramento da desastrosa campanha brasileira no Mundial, o que não foi feito.
"Quem vai decidir (minha permanência) é o presidente (da CBF). Como já tínhamos combinado, entregaríamos o cargo à direção, ganhando ou perdendo, porque isso era o combinado antes da Copa e ele tem a qualidade para decidir o que tem que fazer depois de receber nosso relatório", anunciou o técnico, que se defendeu das críticas de ser um técnico ultrapassado.
"Nas três Copas que disputei (2002 com o Brasil, 2006 com Portugal), cheguei entre os quatro melhores em todas. Não tenho uma situação que eu possa lamentar a minha vida toda. O resultado de sete, já falamos que foi o pior da história. Mas tenho que ver o lado positivo. Em 2006, não chegamos entre os quatro, em 2010 também não chegamos e agora chegamos. Eu vejo o lado positivo", afirmou.
Mesmo somando mais uma derrota inquestionável, o técnico da seleção pareceu gostar da atuação da equipe.
"Era para ser um jogo equilibrado, mas tomamos um gol no primeiro minuto. Não acho que jogamos mal. Não vejo como criticar a equipe hoje, perdeu por 3 a 0, mas teve uma desenvoltura, jogou bem. Os jogadores correram atrás, não fizeram um jogo ruim para perder por 3 a 0", justificou o técnico.esporteinterativo
 

Felipão busca afastar polêmica com observadores e diz que quem escala é ele

Técnico afirmou que Roque e o Gallo são analistas dos adversários, não de sua seleção

O técnico da seleção brasileira, Luiz Felipe Scolari, buscou nesta sexta-feira afastar a polêmica em torno das recomendações dos obsevadores da seleção, que teriam sugerido a ele uma escalação diferente da que foi derrotada por 7 x 1 pela Alemanha na semifinal, e disse que quem escolhe os jogadores é ele.
uestionado se os observadores da seleção, os ex-jogadores Gallo e Roque Júnior, sugeriram uma equipe com mais jogadores do meio-campo em vez da entrada de Bernard no lugar de Neymar contra os alemães, Felipão não negou nem confirmou, apenas reafirmou sua autoridade.
"O Roque e o Gallo são analistas dos meus adversários, não da minha seleção", disse o técnico.
"Eles analisam e passam as informações dos adversários, eu faço as escolhas dos meus jogadores, da seleção brasileira", acrescentou Felipão, alertando os jornalistas que seria impossível colocá-lo contra Gallo, de quem teriam partido as declarações de que o técnico não seguiu as sugestões dos observadores.
"Não queiram colocar o Gallo contra mim, porque não vão conseguir", disse. "O analista da seleção brasileira sou eu, por enquanto."
Felipão disse que ainda não há definição sobre seu futuro e, para a disputa do terceiro lugar contra a Holanda, afirmou que pretende fazer alterações na equipe.
"Eu vou mexer em uma ou duas posições", disse sem dar mais informações.yahoo
 
 
Support : Creating Website | Johny Template | Mas Template
Copyright © 2011. BorrachaINFO - All Rights Reserved
Template Created by Creating Website Published by Mas Template
Proudly powered by Blogger